[Livro+Filme] Cidades de papel - John Green

30 agosto 2016

1. capa original 2. capa após o filme

Nome do livro: Cidades de papel
Autor(a): John Green
Editora: Intrínseca
Número de páginas: 368
Comentários: A história começa quando uma nova vizinha, Margo Roth Spiegelman, se muda para a casa ao lado de Quentin, o qual acaba nutrindo um amor platônico por ela desde sua infância. Quando criança, costumavam brincar juntos e andar de bicicleta pelo bairro, até que um momento a marcou muito que foi ao ver um cadáver em uma praça, e, de certa forma começou a querer investigar mais sobre ele, tipo: seu nome; família; o que o motivou a cometer o suicídio; isso despertou nela um interesse por mistérios de maneira tal que acabou se transformando em um.
Anos depois Margo e Quentin (apelidado de Q) se afastaram. Ela, se tornou a garota linda e popular, e ele, continuou sendo um dos outros nerds, junto de seus dois amigos Ben, um garoto que busca atingir uma certa popularidade e conquistar as garotas do colégio, e, Radar, que é viciado em atualizar o Omnictionary, um programa que ele desenvolveu e é basicamente um dicionário online misturado com Wikipédia, com todas as possíveis palavras que você pode imaginar.
Certa noite Margo invade a vida de Q pulando a janela de seu quarto, com a cara pintada de preto e vestida como ninja, disposta a se vingar de algumas pessoas que foram cruéis. Q, de início tenta resistir e não ir, pois não quer se meter em confusões por medo de não ser aceito na faculdade de seus sonhos, mas, no final acaba aceitando. Quando a noite de aventuras acaba, ele que já está no seu último ano da escola, se sente esperançoso de que seu relacionamento com a Margo irá mudar a partir de então, mas ela não aparece na escola naquele dia nem nos outros que seguem.
Um dia, ao chegar em casa, um detetive o espera para conversarem sobre a última vez que viu sua vizinha e é informado sobre sua fuga. Não era a primeira vez que Margo fugira, sempre que ela fugia deixava algumas pistas para que pudessem encontrá-la, mas seus pais não entendiam muito bem e após alguns dias, ela voltava. Dessa vez, pela primeira vez ela deixou algumas pistas para Q, que começa a segui-las e quanto mais ele vai se aproximando de Margo, mais ele se distancia da imagem que tinha criado de Margo durante todos esses anos.
Aconselharia a leitura do livro? Sim

O vídeo abaixo é o autor comentando um pouco sobre o livro, o porque do nome dos personagens, principalmente o da Margo, enfim, é bem legal embora ele fale extremamente rápido e parece que vai ficar sem ar.

Cena do filme "Cidades de papel"
Trailer do filme:

Cidades de papel foi o único livro do John Green que eu gostei bastante e li até o final, tentei ler "quem é você Alasca?", mas não consegui, porque para mim ambos os livros são bastante parecidos, ambos com adolescentes problemáticos (Margo, no caso de cidades de papel e Alasca, em quem é você Alasca?) tem o mesmo lance de fazer listinhas, e, resumindo o que torna os dois livros um pouco diferente? Os personagens e o local que ocorre a estória, fora isso, é tudo a mesma coisa.
Voltando ao foco do post, eu fiquei super animada quando soube que iriam fazer o filme de "cidades de papel", mas quando eu finalmente vi o filme não achei lá essas coisas, achei bem fraquinho, por sinal, prefiro mil vezes o livro. Uma das minhas maiores críticas ao filme foi eles terem cortado a parte que Margo e Q invadem o SeaWorld, foi uma das partes mais legais e queria ter visto como eles iriam fazer, mas não rolou ): 
A Margo do livro e do filme são bem diferentes, isso não é bem uma crítica, e sim uma observação. No livro, a Margo tem uma característica mais forte de sociopatia, que é um transtorno de personalidade caracterizado por um egocentrismo exacerbado, que leva a uma desconsideração em relação ao sentimento e opiniões dos outros; ela é bastante depressiva, e, bem mais rebelde e vida louca. Inclusive a sociopatia dela é nitidamente perceptível no final do livro com a sua reação ao ver que a encontraram. Já no filme, a Margo não chega a ser tão rebelde assim ou sofrer depressão, dá para notar que ela tem alguns problemas internos, confusões e tal, mas também dá para perceber que  no fundo ela se importa com as pessoas que gosta, ainda que pouco.

Mandy.

2 comentários

  1. Eu li o livro e curti bastante, ainda não vi o filme, mas se segue a linha do livro deve ser bacana tbm.

    Beijos
    Fran
    Achei e Rabisquei

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse livro, pra mim, é de longe o melhor que o John já escreveu. Eu gostei bastante, quando soube do filme criei muita expectativa imaginando como eles fariam a Margo e suas loucuras. E me decepcionei porque esperei muito e acabou sendo bem menos do que eu imaginei. Mas o livro sem dúvida é muito bom, é o único que eu indico dele rs.

      Excluir

© Copyright DE LOUCOS TODOS SOMOS UM POUCO | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.
Designer e programação por: DRÊ DESIGN.
imagem-logo